Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


2.942 empregos foram gerados em maio em Bebedouro

23 de junho
000

Início da safra da laranja faz a cidade voltar a gerar empregos
 
Seguindo a tradição, o início da safra da laranja fez Bebedouro voltar a gerar empregos e, depois dos 1.345 empregos gerados em abril, a cidade atingiu seu pico e gerou 2.942 empregos em maio, onde as contratações (3.973), superaram as demissões (-1.031), gerando um dos melhores resultados do Brasil.
Da mesma forma como nos meses de dezembro e janeiro nos destacamos no ranking nacional pelo volume de demissões, costumeiramente nos meses de maio e junho Bebedouro se destaca pelo volume de admissões.
Nos dois extremos, a cidade não sofre um grande impacto, pois a maior parte das admissões ou demissões não são propriamente da cidade. Embora apareça nos registros do Caged como Bebedouro, por sediar alguns condomínios agrícolas, pessoas empregadas na cultura da laranja em outras cidades são registradas aqui. Assim, no auge da safra a cidade se destaca pelas contratações, mas só uma parte é efetivamente daqui. No fim da safra, nos destacamos pelas demissões, mas mais uma vez, só uma parte é daqui.
Em maio, Agropecuária (2.891), Indústria (41), Serviços (30) e Serviço Utilidade Pública (2) fecharam o mês com saldo positivo na geração de empregos; enquanto, Construção Civil (-10) e Comércio (-12), apresentaram resultados negativos.
Nos cinco primeiros meses de 2017, Agropecuária (2.677), Construção Civil (52), Serviços (170) e Serviço de Utilidade Pública (2) apresentaram saldo positivo na geração de empregos. Comércio (-143) e Indústria (-139), apresentaram resultados negativos. Com o resultado de maio, Bebedouro finalmente conseguiu reverter o resultado negativo que vinha desde agosto de 2017 e, assim, fechou os primeiros cinco meses do ano com um saldo de 2.619 empregos, o terceiro melhor do estado, ficando atrás apenas de Franca (6.247) e Pontal (2.990).
 
Região
No mês de maio, das 22 cidades pesquisadas por O Jornal, 13 apresentaram resultados positivos na geração de empregos. Bebedouro foi a cidade que liderou o movimento de geração de empregos na região no quinto mês de 2017, pois as contratações (3.973), superaram as demissões (-1.031), gerando um saldo de 2.942 contratações. Na sequência aparecem Matão (1.804), São José do Rio Preto (868), Monte Alto (354), Colina (202), Pontal (143), Guaíra (65), Itápolis (57), Catanduva (42), Ribeirão Preto (36), Viradouro (32), Pirangi (30) e Taquaritinga (4).
Nove cidades da região apresentaram resultados negativos na geração de emprego no mês de maio: Morro Agudo (-2), Monte Azul Paulista (-13), Olímpia (-34), Jaboticabal (-63), Barretos (-82), Guariba (-89), Severínia (-111), Pitangueiras (-196) e Sertãozinho (-579).
Nos primeiros cinco meses de 2017, Pontal  foi a cidade da região que mais gerou empregos (2.990), sendo seguida por Bebedouro (2.619), São José do Rio Preto (1.818),  Guaíra (1.612), Pitangueiras (1.164), Barretos (583), Jaboticabal (526), Olímpia (518), Catanduva (442), Monte Alto (408), Guariba (374), Ribeirão Preto (344), Viradouro (244), Sertãozinho (233), Colina (202), Morro Agudo (177), Taquaritinga (159), Pirangi (63), Itápolis (38) e Severínia (5). 
Duas cidades pesquisadas apresentaram saldo negativo na geração de empregos no acumulado dos cinco primeiros meses de 2017: Monte Azul Paulista (-71) e Matão (-1.184).
 
Brasil
Pelo segundo mês consecutivo, o Brasil apresentou resultados positivos na geração de empregos. Em maio, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na terça-feira (20), pelo Ministério do Trabalho, o Brasil abriu 34,2 mil vagas formais de trabalho. Foi a primeira vez desde 2014 que um mês de maio registrou mais contratações do que demissões. 
"O governo federal tem feito um esforço grande e constante para adotar medidas que incentivem a geração de empregos. E o resultado nós temos visto no desempenho do Caged desde o ano passado, mas, sobretudo, nos últimos meses", afirmou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, ao divulgar os dados do Caged referentes ao mês de maio, ressaltando o início da recuperação dos empregos fechados nos últimos anos em razão das crises econômica e política. 
Através de mensagens no Twitter, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, comentou que “a criação de 34,2 mil vagas com carteira assinada confirma as previsões do governo de recuperação gradual do emprego" e que “na retomada do crescimento, a economia demanda algum tempo para atingir o nível de emprego que desejamos. O importante é que o rumo está certo".
No acumulado de janeiro a maio, os resultados também foram positivos, pois foram criadas 48.543 vagas com carteira assinada no país. 
Indicando o tamanho da crise vivida pelo país, os dados do Caged mostram que apesar dos resultados positivos dos últimos meses, nos últimos doze meses foi registrada a demissão de 853.665 trabalhadores com carteira assinada e, assim, o total de trabalhadores empregados no país, com carteira assinada, somou 38,36 milhões de pessoas em maio deste ano, contra 39,22 milhões no mesmo mês do ano passado.
O setor que mais contratou em maio foi a agricultura, que abriu 46.049 vagas formais. A indústria de transformação gerou 1.432 empregos e os serviços abriram 1.989 postos de trabalho. Comércio e construção civil apresentaram resultados negativos, demitindo respectivamente 11.254 e 4.021 trabalhadores.
A região Sudeste foi a que mais contratou: 38.691. Em seguida aparecem a região Centro-Oeste, que contratou 6.809, e a Nordeste, que contratou 372. As regiões Norte e Sul apresentaram resultados negativos, a primeira demitiu 1.024 e a segunda, 10.595.

 


Deixe um comentário